8 dicas para proteger smartphones Android de ataques

8 dicas para proteger smartphones Android de ataques

O aumento no uso de smartphones com Android – que em 2013 responderam por quase 80% das vendas globais – torna a plataforma cada vez mais visada no radar dos cibercriminosos. Segundo o Google, há no mundo mais de 1 bilhão de aparelhos ativados com o sistema operacional.

Existem dicas básicas e simples que minimizam as chances de infecção do dispositivo por arquivos maliciosos. Confira abaixo algumas delas, elaboradas pela empresa de segurança ESET.

1 – Configure o acesso e o bloqueio automático do aparelho: para evitar que outras pessoas acessem as informações do dispositivo, é importante usar uma senha, que pode ser numérica, alfanumérica (com números, letras e caracteres especiais) ou um padrão-chave de desenho (ligação de pontos). Neste último caso, recomenda-se configurar o dispositivo de modo que o caminho riscado não seja exibido, para evitar que qualquer pessoa veja a união dos pontos.

2 – Realize atualizações periodicamente: as atualizações do sistema são essenciais para não deixar o smartphone vulnerável. Por meio dessas atualizações, os programadores corrigem bugs como falhas de segurança que permitem ao invasor acessar o dispositivo e roubar informações pessoais. Para atualizar os aplicativos, o usuário deve abrir o Google Play, no menu ‘Meus Aplicativos’, e realizar as atualizações. Já o sistema operacional é atualizado automaticamente pelas operadoras e fabricantes.

3 – Verifique os aplicativos e suas permissões: quando for instalar aplicativos é necessário considerar dois pontos: a sua origem e as permissões exigidas. Recomendamos o uso da loja oficial e confiável para efetuar downloads. Por sua vez, quando instalar um aplicativo do Google Play, por exemplo, uma janela de permissão imediatamente apresentada pelo aplicativo. É aconselhável ler os Termos e Condições antes de aceitá-lo.

4 – Evite ativar a geolocalização: há aplicações que solicitam ativar o serviço de geolocalização, por meio do qual é possível determinar a localização geográfica do dispositivo. Essa opção é usada, por exemplo, para encontrar um equipamento perdido. No entanto, esse recurso também permite que cibercriminosos localizem pessoas e pratiquem crimes. Portanto, é aconselhável evitar essa funcionalidade e sempre verificar se os serviços que a utilizam são confiáveis ​​e adequados.

5 – Proteja o cartão SIM: além da senha de acesso ao equipamento, o usuário deve definir uma senha de acesso ao cartão SIM, pois assim o usuário pode evitar a falsificação e roubo de identidade. É indicado usar uma senha forte (com letras, números e caracteres), o que evitará o vazamento de informações em caso de perda, roubo ou furto do equipamento.

6 – Configure a segurança do navegador web: algumas práticas recomendadas para implementar no navegador do dispositivo são: ter uma solução de antivírus capaz de analisar as conexões e arquivos em execução; desabilitar a execução de Java e Flash automaticamente; acessar apenas sites HTTPS; desativar a opção de lembrar de senhas; e desativar a opção de ativar localização.

7 – Faça cópias de segurança: realizar backup periódico dos dados e informações contidos no smartphone é uma ótima prática, porque isso permite recuperar essas informações no caso de incidentes com o equipamento.

8 – Apague dados ao vender ou trocar o equipamento: para isso é preciso entrar em Configurações/Privacidade e selecionar as funcionalidades de fábrica. É necessário também apagar dados do cartão de memória.

Sintomas de infecção

No vídeo abaixo, publicado no mês passado, você confere uma lista de sintomas de que seu smartphones Android pode ter sido infectado.

Deixe um Comentário

Close
CONCORRA A BRINDES ,CURTA E PARTICIPE
Tá gostando de nosso conteudo?então curti ai!
%d blogueiros gostam disto: